Vida de Mãe

publicidade
05 de abril de 2013 • 07h10

Manchas vermelhas diferenciam dengue de outras doenças

Febre alta é um dos sintomas da dengue
Foto: Shutterstock

Febre alta e persistente, dores no corpo e enjoos. Esses são sintomas de uma doença que está crescendo no Brasil: a dengue. Nas crianças, o diagnóstico é mais complicado que em adultos, porque os sinais se confundem com uma virose ou uma gripe. Mas um detalhe ajuda a diferenciar a dengue de outras doenças: as manchas vermelhas na pele. “Essas manchas são mais comuns em crianças”, afirma o presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Eitan Berezin.

“No sudeste asiático, onde também ocorrem surtos de dengue, ela atinge mais crianças. Mas, no Brasil, tanto adultos quanto crianças são vítimas”, comenta o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Marcelo Simão Ferreira. Conforme boletim divulgado recentemente pelo Ministério da Saúde, cresceu o número de pessoas contaminadas pelo vírus em 2013 - de 1º de janeiro a 16 de fevereiro, foram registradas 204.650 notificações; contra 70.489 no mesmo período de 2012. Por outro lado, os casos graves da doença e os óbitos diminuíram. 

Hoje, apenas oito estados brasileiros concentram quase 85% dos casos de dengue no País, entre eles o Rio de Janeiro. A Secretaria Estadual de Saúde daquele estado divulgou que, dos 92 municípios fluminenses, 42 apresentaram epidemias da doença neste ano, um dado preocupante.

O tratamento da dengue é o mesmo para adultos ou crianças. Como a doença não tem cura, os pacientes são medicados para tratar os sintomas. “Hidratação é o mais importante. Salva a vida das pessoas”, afirma Ferreira. Segundo o médico, as mortes em decorrência da enfermidade poderiam ser evitadas se o atendimento aos pacientes fosse precoce. 

Cuidados e inseticida

Para evitar a doença, vale a recomendação clássica: não deixar água limpa e parada, local em que o mosquito se reproduz. Como o inseto costuma infectar pessoas que moram perto dos locais onde nasce, evitar sua proliferação controla também a doença. 

E um alerta aos pais: o Ministério da Saúde afirma que os focos de reprodução do mosquito estão principalmente em ambientes domésticos. Outra dica é usar outras formas complementares de controle. “Os inseticidas destroem qualquer tipo de mosquito, incluindo os que transmitem doenças como a dengue e a malária”, diz Ferreira.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra