PUBLICIDADE

Brincar de ficar bonito é saudável, ser um miniadulto não

11 jan 2013 08h12
| atualizado às 08h12
ver comentários
Publicidade

 

Pintar o rosto de Avatar ou Homem-Aranha é diferente de maquiar-se para comparecer a uma festinha de aniversário. Brincar de dia de princesa é saudável, ter horário fixo para trocar a cor do esmalte toda semana não é. Você percebe a diferença? Imitar a vida adulta faz parte da infância, mas pode passar do ponto quando as crianças exageram na vaidade e transformam a busca pela beleza em uma obsessão diária.

Imitar a vida adulta faz parte da infância, mas é preciso ter cautela para que a brincadeira não se torne uma obsessão diária
Imitar a vida adulta faz parte da infância, mas é preciso ter cautela para que a brincadeira não se torne uma obsessão diária
Foto: Shutterstock

Como explica a psicóloga infantil e psicopedagoga Neusa Hickel, é importante estimular o cuidado com a aparência e a higiene por uma questão de saúde e para incentivar a autoestima da criança. Tomar banho, escovar os dentes, cortar o cabelo e vestir uma roupa bonita é saudável e deve ser incentivado pelos pais. No entanto, o limite entre o cuidado com a saúde e a vaidade excessiva é tênue. Usar salto, maquiagem e querer vestir-se como um adulto no dia a dia durante a infância está associado aos padrões de consumo do meio externo.

Uma criança vaidosa demais provavelmente se tornará um adulto egoísta e consumista, que cria necessidades que, na realidade, não existem. Nesse caso, não ter tudo o que se quer gera problemas como ansiedade e depressão. Além disso, no futuro, crianças que não vivem a fase da fantasia na idade certa têm mais chance de se tornarem adultos imaturos, que vivem a chamada "adolescência tardia". "A infância é a fase da brincadeira. Quando as crianças vivem demais a realidade adulta, incondizente com a sua estrutura emocional, seu desenvolvimento é prejudicado", explica a especialista.

 

Videogame no salão de beleza

No salão infantil Glitz Mania, no Rio de Janeiro, o aspecto lúdico envolve vários dos serviços oferecidos. Enquanto meninos cortam o cabelo jogando videogame, meninas vivem o dia da princesa, com penteado, maquiagem artística e unhas decoradas. No entanto, a procura por serviços iguais aos contratados por adultos vem aumentando. A gerente Fernanda Gaspar conta que várias mães têm horário fixo na manicure para elas e para as filhas. Outro serviço muito procurado pelos pais são as festinhas de aniversário, que reúnem meninas para uma tarde da beleza e, no final, há um desfile das pequenas modelos. 

Segundo a psicóloga, os pais são as primeiras referências das crianças, e devem pensar nos valores que desejam passar aos filhos antes de estimular a busca pela beleza. Usar salto, maquiagem e vestir-se como um adulto deve ser motivo de brincadeira, não costume do dia a dia. Brincar de ser cabeleireira e usar o batom e o salto da mãe são sinais de uma admiração saudável. 

Fonte: Cartola - Agência de Conteúdo
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade