Amor e sexo

publicidade
30 de setembro de 2012 • 20h52

Saiba quais são os 11 tipos de orgasmos existentes

O prazer alcançado durante uma relação sexual cria uma reação química natural que favorece, e muito, sua saúde
Foto: Getty Images

O prazer alcançado durante uma relação sexual cria uma reação química natural que favorece, e muito, sua saúde. Segundo pesquisas, o orgasmo é capaz de vencer o estresse e a depressão, aliviar dores e reduzir o risco de câncer de mama e próstata. Mas você sabia que nem todos os orgasmos são iguais? No total, existem onze tipos que podem variar de acordo com a pessoa e também como a forma que ela é estimulada pelo seu parceiro. As informações são do The Sun.

1. O ponto G
Durante a excitação sexual, o tecido que envolve a uretra fica cheio de sangue e as glândulas ao redor dele se enchem de fluido da próstata, um líquido que compõe o sêmen. O mesmo vale para as mulheres. É naquela área correspondente em que se encontra o ponto G. “A excitação feminina é realmente muito semelhante à masculina. Como resultado, o tecido uretral torna-se ereto e se você tocá-lo, pode senti-lo firme. É como uma ereção, com a diferença que tudo acontece dentro da vagina”, explica Marine Balfour, psicólogo.  

2. O rapidinho
O orgasmo é vindo da estimulação clitoriana é o mais comum e sentido pela maioria das mulheres. “O clitóris é a área mais sensível do corpo feminino, devido as suas inúmeras terminações nervosas. É como se todas as terminações nervosas do pênis estivessem concentradas em uma pequena área, do tamanho de uma ervilha", explica Marine. Por isso, o orgasmo alcançado por essa região é o mais fácil.

3. O preguiçoso
Este tipo de orgasmo exige tempo para ser alcançado. “O preguiçoso começa na vagina e permanece focado na região pélvica e pode chegar até à região do estômago”, diz Marine. Muitas mulheres descrevem como uma sensação pouco intensa, mas profunda.

4. O tântrico
Este tipo de orgasmo é bem raro. “A ideia é que ele libere a mulher dos sentimentos negativos e a preencha com uma espécie de energia, luz, euforia e um sentimento de satisfação e paz. É muito profundo”, comenta.

5. O ponto A
Este é um ponto mais interno da vagina, que causa tanto prazer quanto o ponto G. Fica entre o colo do útero e a bexiga. É possível alcança-lo em uma penetração forte e profunda durante o sexo, na posição papai e mamãe.

6. O profundo
Este tipo de orgasmo é alcançado através da estimulação da área localizada no caminho do útero, na parte mais profunda da vagina. “A estimulação direta da chamada ‘mancha profunda’ pode causar orgasmos muito intensos. Esta área particular não é amplamente conhecida e poucas mulheres chegaram a experimentar essa sensação”, explica.

7. O ponto U
“Este orgasmo é alcançado ao estimular uma pequena área entre a uretra e a vagina. Se suavemente acariciada, a região pode causar uma incrível resposta erótica”, disse Marine.

8. Os seios
Os mamilos femininos podem se conectar a nervos dos órgãos genitais e estimular um orgasmo. “Muitas mulheres sentem uma conexão direta com seu clitóris quando seus mamilos são estimulados. Algumas sentem que a excitação aumenta, mas nem todas conseguem sentir esse prazer”, explica o psicólogo.

9. O oral
A boca tem um importante papel no sistema nervoso sexual. "O orgasmo oral pode ocorrer durante qualquer atividade feita com a boca como beijar, lamber, chupar ou fazer sexo oral. Mas você tem que ser muito sensível para que isso aconteça. Muitas mulheres descrevem a emoção como começando em seus lábios e depois se espalhando pelo corpo, até chegar aos genitais", diz Marine.

10. O da pele
Tocar a pele da mulher durante uma massagem pode fazê-la ter um orgasmo. Isso acontece mesmo quando a área acariciada não é necessariamente uma região do corpo ligada ao sexo.

11. O pornô
Acontece quando a mulher é estimulada por um filme, TV ou revista.

Terra