publicidade

Estudo identifica 'gene do divórcio' feminino

Algumas mulheres podem sofrer variação no gene
Foto: Getty Images
 
Patricia Zwipp

Quando o relacionamento amoroso vai mal e chega ao divórcio, as pessoas tentam buscar explicações para a situação. Mas, de acordo com uma pesquisa do Instituto Karolinska, na Suécia, a resposta pode estar em uma variação de um gene das mulheres. Os dados são do jornal Daily Mail.

Os cientistas examinaram o DNA de mais de 1,8 mil mulheres e seus parceiros. Cada casal estava junto por mais de cinco anos, tanto casados no papel como vivendo na mesma casa. Constatou-se que as voluntárias que possuíam uma variação do gene receptor de oxitocina (alelo A) eram menos propensas a casar devido à dificuldade de ligação com outros. As integrantes desse grupo que subiram ao altar mostraram 50% mais chances de relatar crise conjugal ou ameaça de divórcio.

Os cientistas acreditam que o gene afeta como as mulheres processam o hormônio oxitocina, que é conhecido por promover sentimentos de amor e afeição maternal. Vale acrescentar que, em 2008, o Instituto também ligou uma variação no gene AVPR1A, associado ao autismo e à interação social, à probabilidade de os homens deixarem suas caras metades ou terem problemas na vida a dois.

Ponto a Ponto Ideias