publicidade
23 de agosto de 2012 • 08h05

É só sexo? Veja se você está em um relacionamento apenas sexual

Quando a relação só se sustenta pela química sexual, vale prestar atenção se o saldo emocional está negativo ou positivo
Foto: Getty Images
 

Na cama, você vê estrelas, se sente a melhor pessoa do mundo e tem vontade de subir pelas paredes de tanta alegria. Mas alguns minutos depois, toda aquela intimidade some como num passe de mágica. Existem relacionamentos que só se sustentam pela química sexual e, na vida prática, acabam não funcionando por vários motivos: falta de afinidade, interesse pela vida do outro e objetivos em comum.

Quem se vê nessa situação, volta e meia mergulha em muitas dúvidas. Será que isso vai para frente? Vou me machucar? Ou, ainda, para quem já está achando a situação insustentável: como vou abrir mão deste relacionamento, se na cama nos damos tão bem? Embora cada ser humano tenha sua história de vida, o que faz com que estabelecer fórmulas não seja uma tarefa simples, alguns padrões podem se repetir. Por isso, as psicólogas Lygia Dorigon e Regiane Machado responderam à algumas dúvidas, que podem ser comuns a quem está em uma situação como essa. Confira.

1. Quais são os prós de um relacionamento deste tipo?
De acordo com a psicóloga Regiane, relacionamentos baseados somente na química sexual trazem desinibição, satisfação sexual e a cumplicidade do ato. “Fora o desejo e a vontade de repetição, já que a sensação e realização, tanto física quanto psicológica, são apropriadas. Principalmente, quando existe disposição para este tipo de relacionamento”, aponta. 

2. Quais são contras de um relacionamento baseado somente na química sexual?
“Dependem fundamentalmente da expectativa que cada parceiro deposita na relação”, defende a psicóloga Lygia. A profissional esclarece que se um dos lados nutre a esperança de que a relação evolua para algo mais sólido, os problemas virão. “Quando este acordo não está claro, é bem possível que uma das partes venha a sofrer. O relacionamento sexual é uma parte importante de um relacionamento afetivo, mas é apenas uma parte. Para se construir um relacionamento saudável, o casal precisa estar disponível para se conhecer verdadeiramente”, pontua.

3. Como os homens encaram este tipo de relacionamento?
A psicóloga Regiane explica que homens geralmente conseguem se envolver mais neste tipo de relacionamento físico, especialmente por conta dos hormônios. “Tendem a conseguir manter-se nessas relações por certo tempo, mesmo não envolvendo outros quesitos que incluem outros tipos de relacionamento”, observa. No entanto, Lygia ressalta que hoje em dia, também é comum encontrar homens se queixando de mulheres que não querem um relacionamento afetivo sério. “Depende muito do que o homem espera. Há uma imagem construída culturalmente de que o homem pode ter várias parceiras e que, portanto, ele está mais adaptado a este tipo de situação.”

4. Como as mulheres encaram este tipo de relacionamento?
Da mesma forma ocorre com as mulheres, segundo observa Lygia. “Se está em um determinado momento da vida em que não está interessada em construir uma relação séria, pode aproveitar tais relacionamentos apenas para se divertir e para se apoiar em momentos em que se sente carente”. Regiane reforça que, fisicamente, as mulheres também podem apresentar essa pré-disposição,  embora sejam mais românticas de um modo geral. “As mulheres prezam também por outras características dos relacionamentos, como por exemplo, companheirismo. Por este perfil pode ser que desejem com o tempo algo com mais completude. Lembrando que, nos tempos atuais, também existem homens que exigem algo a mais”, analisa.

5. As pessoas podem se machucar insistindo nessa relação? Se sim, o que fazer para se preservar e tirar somente a parte boa?
Sinceridade é a palavra-chave para que uma relação baseada somente em sexo traga mais alegrias do que tristezas. “Quanto mais claro for para ambos os lados o que cada um quer, maiores chances o relacionamento tem de progredir”. No entanto, ela avisa que muitas vezes nenhum dos lados sabe exatamente o que esperar da relação. “Nesse caso, precisa avaliar a disponibilidade de cada um para investir no relacionamento. Se ambos estiverem com a mesma motivação e interesse podem muito bem curtir o momento”, explica.

6. Há chances de o relacionamento ir para frente, e se desenvolver algo mais sólido a partir desta química sexual?
Segundo a psicóloga Lygia, qualquer tipo de afinidade pode ajudar um casal a construir um relacionamento afetivo. “Obviamente, a química sexual tem um peso muito importante. Nesse sentido, ela pode ser a porta de entrada para um relacionamento futuro”, afirma. Regiane reforça que, para isso acontecer, o casal precisa estar disposto a se conhecer mais. “Se há afeto, companheirismo, afinidades, se o estilo de vida é parecido, se conseguirem estabelecer objetivos em comum, e se há o real desejo de ampliar esse relacionamento, é absolutamente possível”, observa.

7. Um relacionamento que só se sustenta pelo sexo pode ser duradouro e saudável?
Lygia afirma que só poderá ser duradouro se ambos estiverem dispostos a viver apenas o lado sexual. “Mas um relacionamento em que se espera que seja afetivo de vários modos, possivelmente não. Um casal precisa querer se conhecer em diferentes situações, de diversas formas”, acredita.

8. Dá para conquistar alguém só pela parte sexual?
“Acho que é possível construir um relacionamento a partir da parte sexual, mas não apenas por ela. Sexo pode ser muito bom, mas dificilmente será bom o suficiente para que se construa um amor”, pontua Lygia.

9. O sexo pode segurar um homem?
Atrair é diferente de segurar, na opinião de Regiane. “Eles podem até ficar por um tempo com a mulher pelo sexo. Mas muitos homens também estão querendo mais do que sexo”, pontua. Lygia acrescenta que o sexo mantém apenas os homens que não estão em busca de uma relação afetiva. “Pode segurar o homem que busca apenas o prazer imediato, mas não está disposto a encarar uma relação afetiva em que coisas boas e ruins acontecem o tempo todo”, observa.  

10. Um relacionamento deste tipo, por não ter outros pontos de afinidade, pode prejudicar também o ato sexual?
“Existe esta possibilidade, afinal sexo por sexo é fácil de encontrar e com o tempo tende a ficar desinteressante. Já o sexo com o envolvimento emocional e outras afinidades em comum tornar-se mais atrativo”, ressalta Regiane. A falta de admiração e de proximidade com o outro pode ser alguns dos fatores que desestimulam a parte sexual.

11. Como se livrar deste tipo de relacionamento e resistir à tentação de ir para a cama com a pessoa?
Se este tipo de relação não está fazendo bem, a primeira coisa a ser feita é se buscar os motivos que a sustenta, segundo explica Lygia. “Quando perceber que pode buscar outras formas de se divertir ou de se relacionar que lhe tragam mais prazer e mais alegrias, terá mais condições de deixar para trás algo que só lhe satisfaz em um aspecto da vida”, explica. Regiane lembra que também é importante traçar o que se espera de um relacionamento. “Se só o sexo não basta e não satisfaz, vale a pena resistir, afinal, será que é necessário ficar com alguém com quem você fica insatisfeita?”, questiona.

12.  Como identificar que o relacionamento está enveredando para este lado, somente carnal, e pode não se consolidar?
Muitas pessoas que estão dentro de um relacionamento deste tipo podem acabar não enxergando que a ligação existente é baseada somente em sexo. A psicóloga Lygia listou alguns pontos que podem sinalizar esta tendência. Confira:  

- Quando os casais se dão bem em situações que envolvem momentos a dois, de intimidade, mas não encontram interesses comuns, afinidades;
- Quando não conseguem fazer programas que não envolvam sexo;
- Quando percebem que não se interessam pela vida da pessoa, em saber como ela passou o dia, como está se sentindo;
- Quando a pessoa só aparece de vez em quando e não responde ligações e chamados;
- Quando o outro inventa desculpas para fazer programas que envolvam outras pessoas do seu convívio social (amigos, familiares);
- Quando o outro se mostra carinhoso apenas antes da relação sexual, mas momentos depois, demonstra-se cansado e desinteressado.

Terra