2 eventos ao vivo

Saiba como economizar no casamento sem perder o charme

Juliana Crem

Sonhos não têm preço. Entretanto, quando se trata do casamento, é preciso levar em conta que o sonho, às vezes, pode sair caro demais, prejudicando o orçamento do casal no início da vida a dois. Mas, fazer economia não é sinônimo de uma comemoração empobrecida. Com bom gosto, criatividade e as dicas dos profissionais é possível fazer uma festa incrível, sem ficar com o bolso vazio ou a conta no vermelho.

Os noivos podem poupar e ainda ter uma festa dos sonhos
Os noivos podem poupar e ainda ter uma festa dos sonhos
Foto: Getty Images

Planejamento e organização
Quando se fala em casamento, dizer que uma boa festa requer planejamento e organização é quase um clichê, mas não custa reforçar. "Tudo tem que estar na ponta do lápis, pois durante os preparativos a noiva se encanta com muitas coisas. Tem que tomar cuidado pra não se empolgar além da conta e gastar mais do que o esperado", alertou Milene Szaikowski, designer e proprietária da Tangram Eventos, de Curitiba (PR). A assessora de eventos Cinthia Rosenberg, de São Paulo (SP), comentou que a proporção da festa e o local onde ela acontecerá são fatores determinantes da hora de estabelecer o borderô da união.

Assim, um dos primeiros preparativos é determinar o tamanho da lista de convidados, para checar se é possível contar com a presença de todos os amigos, familiares e conhecidos e escolher um espaço de eventos que comporte todos confortavelmente. "Apenas as pessoas importantes para o casal devem ser convocadas. Quanto mais gente, mais cara fica a festa e, caso alguém se ofereça para ir ao casamento, basta dizer que somente os familiares serão convidados", ensinou Milene.

Calculadora em mãos
Alguns casais acham que contratar um cerimonial pode indicar uma despesa a mais, o que está completamente equivocado. Cerimonialistas e assessores de eventos costumam poupar não apenas o tempo do casal, como também ajudam a pesquisar preços e negociar valores com os fornecedores. Outra função essencial destes profissionais é fazer o Réspondez S'il Vous Plait , também conhecido como RSVP. Esta confirmação da presença dos convidados é fundamental para a negociação com os buffets, visto que estes fornecedores costumam cobrar pela quantidade de presentes na festividade e nem todos os convidados comparecem ao evento.

"O assessor tem mais experiência e contatos. Quando as noivas agem por conta própria, acabam procurando as 'grifes' e fornecedores mais famosos, que são mais caros. Os assessores sempre indicam e negociam profissionais tão bons, mas com valor inferior. Já fiz vários casamentos que a noiva acabou gastando menos do que imaginava por causa dos contatos que fiz", contou Cinthia.

Marcia Possik, diretora da Marriages, de São Paulo (SP), concordou que o principal ponto dos assessores e cerimonialistas é ter isenção emocional para negociar valores. "É bom que o casal busque referências de outros noivos que já trabalharam com a assessoria e procurem dados sobre ela junto a órgãos de proteção ao consumidor. Este tipo de profissional não cobra comissão e tudo o que for combinado deve estar em contrato."

Trocas criativas
"O casal tem que ter em mente que milagres não existem, mas conseguimos fazer um bom serviço com baixo custo. Entretanto, para aqueles que montam uma planilha de gastos, sempre recomendo que separem 20% a mais do custo para algum imprevisto que sempre aparece", destacou Cris Barbosa, decoradora de casamentos da capital paulista, do Estúdio Cris Barbosa de Cenografia de Eventos.

Algumas dicas simples ajudam os pombinhos a economizar. Nos convites, por exemplo, é possível optar por papéis nacionais, formatos menores e apenas uma cor de impressão. Ao invés de comprar um bolo exclusivo, os noivos podem alugar um cenográfico, pois com a grande variedade de doces que são oferecidos no casamento, poucos convidados acabam provando o bolo e o desperdício costuma ser grande. "A economia pode chegar a 30%", ensinou a assessora de eventos paulista.

Cinthia recomenda um jantar ao invés de um coquetel finger food . "O perfil dos convidados é que vai determinar o estilo da recepção, mas o jantar com buffet de massas, por exemplo, costuma ser mais em conta." Para Marcia, é possível servir bem apenas com uma entrada, um prato quente e uma sobremesa, assim como as bebidas: "o importante é servir quantidades que satisfaçam os convidados, sem desperdícios".

Criatividade é um dos mandamentos da decoração. Segundo Cris, dentro do bom gosto é possível lançar mão de acessórios bacanas para reduzir a quantidade de flores no espaço. As flores são essenciais na ornamentação, mas seu preço, que é sempre alto, flutua conforme as estações do ano. "Maio é sempre o mês mais caro por causa do dia das mães. A melhor época para comprar flores é de setembro a novembro, porque é primavera", contou.

Juntar as cerimônias civil e religiosa e a recepção em um mesmo espaço de eventos também ajuda a reduzir gastos, porque há menos deslocamento de profissionais. "E locais menores requerem menos decoração", ressaltou a designer curitibana. Muitos espaços de eventos também cobram menos para festas em dias de semana e aos domingos. "É bom lembrar que existe o valor agregado do lugar também. Uma mesma decoração, em ambientes distintos, pode custar de R$ 12 a R$ 36 mil. Decorar a Igreja da Cruz Torta sai por cerca de R$ 3 mil, enquanto a Nossa Senhora do Brasil, muito mais renomada, pode sair três vezes este valor", ensinou Cris Barbosa.

"Invista o mínimo possível no que não é fundamental, como as lembrancinhas e acessórios de festa. Procure coisas mais em conta, ou faça você mesma as lembrancinhas. Estipule um valor máximo pra gastar com isso e atenha-se a ele. Outra dica é: se você tem amigas que vão casar também junte-se a elas para negociar descontos com fornecedores", sugeriu Milene. Caso a única lembrança do casamento seja o bem-casado, Marcia orientou a encomendar pelo menos um para cada convidado, sendo que três unidades seria o ideal.

Duda Martins, da banda Shine, especializada em casamentos, da capital paulista, propôs aos noivos que contratem bandas que já possuem uma estrutura de cenografia, iluminação e som. "Eles podem evitar dores de cabeça com os imprevistos ao checar os contratos da banda e do espaço de eventos, para ver se não há taxas adicionais e se o local tem condições de receber aquela banda. Se, por exemplo, o buffet não tem um gerador, os noivos terão que arcar com mais este gasto", explicou.

Sinais de alerta
Nem sempre o que é mais barato é mais vantajoso. Por isso, é preciso ter em mente que a qualidade dos produtos e serviços adquiridos é muito importante para o sucesso da festa. Para que o barato não saia caro é bom fazer uma pesquisa com serviços semelhantes para checar se o preço é justo ou não. Também é bom desconfiar de promoções mirabolantes e brindes oferecidos em excesso. Milene Szaikowski recomendou que o casal não poupe na escolha dos profissionais de foto e vídeo, pois as recordações ficarão após o casamento. Cinthia Rosenberg, por sua vez, frisou que os pombinhos não devem deixar de se divertir: "esse é um momento de curtição, não de dores de cabeça", concluiu.




Terra

compartilhe

publicidade
publicidade