inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Cresce número de chefes mulheres que cometem bullying

Um quinto das executivas admite gritar ou ser verbalmente abusiva. Foto: Getty Images

Um quinto das executivas admite gritar ou ser verbalmente abusiva
Foto: Getty Images

Patricia Zwipp

As mulheres lutaram por décadas para conquistar altas posições no mercado de trabalho. E agora, de acordo com um levantamento da Associação Britânica de Gerenciamento da Raiva, cresce o número de chefes do sexo feminino que cometem bullying contra funcionários. Os dados são do jornal Daily Mail.

O estudo mostrou que um quinto das executivas admite gritar ou ser verbalmente abusiva. Além disso, 10% delas culpam e envergonham colegas quando as coisas dão errado.

Mike Fisher, diretor da associação, disse que as mulheres com cargos altos enfrentam os problemas psicológicos que historicamente têm atrapalhado a vida dos homens que chegam ao topo. "A principal razão para um aumento na raiva é a incapacidade de lidar com o estresse. As mulheres tendem a prestar mais atenção aos detalhes do que os homens. Elas podem ser mal-humoradas e abruptas, além de fazer observações críticas. Isso pode ser interpretado por colegas como bullying", acrescentou.

Ponto a Ponto Ideias