inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Coach também auxilia jovens na escolha da profissão

O profissional ajuda o jovem a pensar na carreira de forma mais ampla. Foto: Getty Images

O profissional ajuda o jovem a pensar na carreira de forma mais ampla
Foto: Getty Images

O fim do ano está a apenas quatro meses do fim e, para muitos adolescentes que se formam no Ensino Médio, é hora de pensar qual profissão seguir. O dilema não é fácil, e a pressão de muitos pais em obrigarem os filhos a seguir a área que eles sonharam, é só mais um entrave neste momento. Para quem está indeciso em qual rumo tomar, uma alternativa é buscar a orientação do coach, profissional que irá ajudar a pensar a carreira de forma mais ampla.

"É possível trabalhar com pessoas de quaisquer idades ou áreas. Para a escolha profissional, é muito enriquecedor, pois ajuda o jovem ou o adulto a decidirem aspectos de seu projeto de vida", afirmou o coach André Percia, também presidente da SLAPNL (Sociedade Latino Americana de Programação Neurolinguística).

Para André Percia, a falta de diálogo dentro de casa, impedindo que o jovem se abra, pode ser ruim. "Parte da neurologia responsável pelo processamento do amadurecimento e do julgamento só se desenvolve em torno dos 23 anos, fase em que muitos já estão formados. Muitas vezes isso não é um problema; mas em outras, é. Cada pessoa é única, com referências, ritmos e momentos pessoais. Há muita cobrança e sinto falta de deixar o adolescente dizer o que pensa, para que seja possível perceber e tentar juntar o que gosta com as demandas da realidade."

Nesse ponto, o apoio dos pais é fundamental. Eles até podem emitir suas opiniões como uma maneira de orientar o filho, mas jamais obrigar. "Se os pais gostam tanto de uma determinada profissão, prestem vestibular para tal. Pais nunca serão (que bom) imparciais ou neutros, mesmo que tentem. Eles devem comunicar o que acham, o que pensam e deixar isso bem claro, mas o filho não precisa abraçar tal verdade", disse o coach.

Hora de decidir
Segundo André Percia, não tem segredo quando o assunto é a escolha da profissão. Nesse caso, quando não se sabe qual caminho seguir, é preciso explorar as aptidões, os talentos, os interesses, as habilidades, as crenças e tudo o que for possível na pessoa. Deve-se também investigar possibilidades e a interação do jovem com profissionais das áreas nas quais ele está considerando.

Outra boa orientação é o jovem buscar saber o que acontece nas áreas que ele pretende, como salário, mercado, campo, espaço para inovação e desenvolvimento. "Outra dica é se perguntar se está disposto a fazer o que precisa ser feito para cursar faculdade, estagiar, entrar no mercado etc. Há muito espaço para trabalhos diferenciados nesse mundo cada vez mais diversificado", afirmou o coach.

Um ótimo exercício é tentar se imaginar desempenhando a carreira desejada e ir percebendo como reage, como se sente, como isso se alinha ou não com as outras coisas importantes da vida. "Conhecer-se, explorar seu potencial, usar seus recursos, informar-se com quem tem bons resultados nessas carreiras, saber os desafios da profissão e perguntar-se como chegar lá são outras maneiras de a pessoa descobrir o que quer realmente."

Como funciona
O trabalho do coach é feito em rodadas preestabelecidas de oito, 10, 12 ou 15 sessões. Uma ou duas sessões podem ser boas, mas não tendem a interferir com tanta eficácia no sistema como um todo. Dúvidas e esclarecimentos podem ser obtidos em uma única sessão sobre como o processo funciona. Os valores variam de R$ 200 a R$ 3 mil, mas André Percia recomenda sempre uma negociação.

Terra