inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Saiba como fazer um currículo certo

Erros no currículo podem descartar o candidato imediatamente. Foto: Getty Images

Erros no currículo podem descartar o candidato imediatamente
Foto: Getty Images

O currículo não é apenas um documento burocrático que você apresenta para concorrer a uma vaga. Ele é o seu primeiro contato com a empresa que deseja trabalhar e, mais do que se possa imaginar, o currículo é analisado e observado nos mínimos detalhes. Para não fazer feio, confira algumas dicas preciosas e aumente suas chances de conseguir um emprego.

» Veja um modelo certo e errado de currículo
» Chat: tecle sobre o assunto

Uma regra essencial diz que o currículo não pode ter mais que duas páginas. "Se o profissional passou por muitas empresas, deve colocar apenas as quatro últimas experiências. Informações repetitivas também tornam o currículo longo e desinteressante", afirma Luiz Augusto Gerolamo, consultor de recursos humanos e headhunter da Ação Consultoria.

Segundo o consultor, se a pessoa desempenhou funções semelhantes em todas as empresas que passou, é preferível colocar esses dados em um resumo de qualificações.

O que deve ser destacado em cada empresa, também de acordo com Luiz Augusto Gerolamo, é o cargo ocupado, a data de entrada e de saída e ainda os resultados obtidos. "O candidato deve colocar dados concretos que comprovem a sua eficiência", indica.

Termos como dinâmico, pró-ativo, responsável, de confiança, devem ser evitados. "Eles simplesmente não dizem nada, só servem para enfeitar o currículo", destaca Gerolamo.

Entre os dados pessoais algo que não pode faltar é a idade do candidato. "Às vezes, quem tem mais de 40 anos, por exemplo, não coloca a idade por medo disso ser prejudicial. Mas pior é omiti-la. Muitas empresas descartam imediatamente o currículo que não tem a idade da pessoa", explica o consultor da Ação.

A estética do currículo é outro aspecto muito importante. "Como a pessoa ordena as informações pode indicar o seu senso de planejamento e organização", diz Gerolamo. Por isso, se você não quer arriscar, prefira o modelo simples. Evite cores e símbolos no seu currículo.

"Algo que poucas pessoas colocam, mas está sendo cada vez mais valorizado, são informações como participações em terceiro setor, prática de exercícios físicos, se é casado, quantos filhos tem. Enfim, coisas que indicam como é a estrutura do candidato fora do trabalho", conta o profissional de recurso humanos.

"Se a pessoa pratica exercícios, tem uma vida cultural, uma família estruturada, tudo isso indica teoricamente que ela é mais satisfeita, tem qualidade de vida, é equilibrada", explica Gerolamo. Mas caso você não tenha esse perfil "arrojado", melhor não colocar falsas informações. Prefira sempre a honestidade.

E muita atenção. Algo que dificilmente é admitido por todos os selecionadores são os erros de português.

Serviço:
Luiz Augusto Gerolamo - consultor de recursos humanos
www.acaoconsultoria.com.br

Redação Terra