publicidade

Nomes de filhos de artistas servem de inspiração

Maddox é um dos filhos de Angelina Jolie e Brad Pitt
Foto: Getty Images
 

Se você está esperando um filho e se inspira em famosos ou em personagens de novela, poderá seguir dois caminhos completamente opostos. O primeiro é voltar ao tempo e resgatar nomes até bem pouco tempo atrás considerados antigos, tendência seguida por muitas celebridades. O outro é inovar de vez fazer e fazer de seu rebento uma pessoa bem diferente, pelo menos ao ser chamada.

» Chat: tecle sobre o assunto

Antônia, Antônio, Joaquim, Benício, Francisco, Davi são aqueles que de um tempo para cá voltaram por conta da escolha dos pais ilustres. No sentido oposto, há, porém, outros que não costumam fazer parte de nenhuma lista de chamada, como Noah e Gael.

Entre os famosos que optaram por nomes mais antigos, está o casal Angélica e Luciano Huck. O primogênito chama-se Joaquim; o segundo, Benício. Outros que seguiram essa linha foram Fernanda Torres, com Antônio e Joaquim; além de Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert, com os gêmeos João e Francisco; e Camila Pitanga, com Antônia, em homenagem ao pai da atriz, Antônio Pitanga. Felipe é um nome mais atual e foi opção de Lavínia Vlasak e da humorista Maria Paula.

Já a cantora Cláudia Leitte espera por Davi. Marisa Monte foi também tradicional ao batizar sua filha, que nasceu em novembro. Chama-se Helena. A escolha para o primeiro filho da cantora foi bem menos comum: Mano Wladmir. Nomes, digamos, diferentes não faltam em Hollywood. A família de Angelina Jolie e Brad Pitt que o diga. As crianças se chamam Zahara, Maddox, Pax, Shiloh, Knox e Vivienne (este bem mais comum). A atriz Nicole Kidman, em julho, deu à luz a sua primeira filha: Sunday Rose.

Menos comum em terras brasileiras, mas bastante simpático é Gael, que pode se espalhar por aí. Foi a opção dos casais Rodrigo Veronese e Arieta Correa e Thiago Lacerda e Vanessa Lóes. Noah, também diferente por aqui, foi a escolha de Danielle Winits e Cássio Reis. O garoto de um ano já batiza até uma linha de roupa infantil: Dolcce Abraccio by Noah.

E quem gosta de novelas, Caminho das Índias, que estréia nesta segunda-feira (19), pode ser um prato cheio para os amantes de novidades. Maya, Sura, Raj, Oposh, Bahuan são alguns personagens. Vai depender, porém, se são nomes de vilões ou de heróis para ver se pegam ou não.

Dá, por exemplo, para se duvidar que alguém em sã consciência tenha batizado a filhinha que acaba de nascer de Flora (a terrível vilã de A Favorita, vivida por Patrícia Pillar). Mas quem sabe não existam algumas Donatelas bebês por aí, em homenagem ao papel de Cláudia Raia?

Escolha
Inspirações à parte, é preciso pensar muito bem na hora de escolher como o filho vai se chamar. "Para a criança, o nome é uma forma de criar sua identidade", explica a professora de psicologia Angélica Capelari, da Universidade Metodista de São Paulo.

Para não errar, é preciso ficar atento se a opção pode constranger a criança em alguma situação. "A junção de partes do nome do pai e da mãe, por exemplo, por vezes resulta em algo estranho. A pessoa pode aprender a lidar com isso ou ficar reclusa e com dificuldade de interação social", explica a psicóloga.

Copiar nomes de artistas pode parecer fácil, mas a decisão deve ser avaliada. Isso porque, de acordo com os especialistas, o filho pode não se identificar com o ídolo ou o nome pode acabar se tornando algo pejorativo no futuro.

Especial para Terra