inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Veja a sala de jantar da casa praia da Casa Cor

Com 30 m², o ambiente de Clarisse Reade aposta na simetria para garantir o conforto visual. Foto: João Ribeiro/Divulgação

Com 30 m², o ambiente de Clarisse Reade aposta na simetria para garantir o conforto visual
Foto: João Ribeiro/Divulgação

A Casa Cor 2005 de São Paulo abre suas portas ao público na próxima quarta-feira, 25 de maio. Ocupando quatro galpões de uma fábrica desativada na zona sul, o principal evento de decoração do País apresentará as tendências do segmento para praia, campo e cidade em 85 ambientes.

Sala da casa de praia
Evento tem serviços para deficientes

A sala de jantar da casa de praia, projetada por Clarisse Reade - que participou de todas as edições da Casa Cor São Paulo - faz uma releitura da casa de pescador com a modernidade do século XXI. Com 30m², o ambiente aposta na simetria para garantir o conforto visual.

A mesa que acomoda dez pessoas está centralizada no espaço, tendo, ao fundo um aparador encimado por um espelho. Ladeando a entrada, duas estantes para acomodar a louça e exibir objetos. Todos os móveis são de madeira de demolição e receberam acabamento de pátina rústica.

As cores aparecem na chita das cortinas e nas almofadas dos bancos. O teto remete às fazendas do Brasil colônia. Feito de gesso no estilo saia-e-blusa (tipo de encaixe macho-e-fêmea), ele é pintado de azul e branco.

O estilo colonial aparece ainda nos móveis simples e retos. Para contrastar, o lustre e as arandelas têm um quê de provençal, evidenciando a mistura que costuma pontuar o trabalho de Clarisse. Gravuras de Minas Gerais inspiradas em Debret arrematam a decoração eclética.

Clarisse optou por bancos com almofadas em vez de cadeiras - elas foram usadas somente nas cabeceiras. "Assim sempre dá para acomodar alguém que chega de surpresa", justifica. O aparador com 70 centímetros de profundidade (o padrão são 40 centímetros) acomoda com facilidade as travessas de comida.

Serviço
Casa Cor São Paulo 2005

Local: Av. Mario Lopes Leão, 1500, Santo Amaro, São Paulo
Período: de 25 de maio a 10 de julho de 2005
Horário: de terça a domingo, das 12h às 22h (inclusive feriados)
Preço do ingresso: Adulto: R$ 30; Mais de 60 anos e estudantes (carteira da UNE/UBES): meia entrada; Crianças (menos de 10 anos): não pagam
Forma de pagamento: dinheiro, cheque ou cartão de crédito
Serviço de Valet no local: R$ 15
Mais informações: 11 3819-7955

Redação Terra
  1. Sala de jantar da casa de praia projetada pela decoradora Clarisse Reade para a Casa Cor São Paulo 2005  Foto: João Ribeiro/Divulgação

    Sala de jantar da casa de praia projetada pela decoradora Clarisse Reade para a Casa Cor São Paulo 2005

    Foto: João Ribeiro/Divulgação

  2. A sala de jantar da casa de praia de Clarisse Reade faz uma releitura da casa de pescador, mas com a modernidade que o século XXI oferece  Foto: João Ribeiro/Divulgação

    A sala de jantar da casa de praia de Clarisse Reade faz uma releitura da casa de pescador, mas com a modernidade que o século XXI oferece

    Foto: João Ribeiro/Divulgação

  3. Com 30 m², o ambiente de Clarisse Reade aposta na simetria para garantir o conforto visual  Foto: João Ribeiro/Divulgação

    Com 30 m², o ambiente de Clarisse Reade aposta na simetria para garantir o conforto visual

    Foto: João Ribeiro/Divulgação

  4. A mesa que acomoda dez pessoas está centralizada no espaço. Ladeando a entrada, duas estantes para acomodar a louça e exibir objetos. Todos os móveis são de madeira de demolição e receberam acabamento de pátina rústica para combinar com o clima de praia  Foto: João Ribeiro/Divulgação

    A mesa que acomoda dez pessoas está centralizada no espaço. Ladeando a entrada, duas estantes para acomodar a louça e exibir objetos. Todos os móveis são de madeira de demolição e receberam acabamento de pátina rústica para combinar com o clima de praia

    Foto: João Ribeiro/Divulgação

  5. As cores aparecem na chita das cortinas e nas almofadas dos bancos  Foto: João Ribeiro/Divulgação

    As cores aparecem na chita das cortinas e nas almofadas dos bancos

    Foto: João Ribeiro/Divulgação

  6. O teto remete às fazendas do Brasil colônia. Feito de gesso no estilo saia-e-blusa (tipo de encaixe macho-e-fêmea), ele é pintado de azul e branco  Foto: João Ribeiro/Divulgação

    O teto remete às fazendas do Brasil colônia. Feito de gesso no estilo saia-e-blusa (tipo de encaixe macho-e-fêmea), ele é pintado de azul e branco

    Foto: João Ribeiro/Divulgação

/foto/0,,00.html