inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Espaços grandes com praticidade

Sala de jantar e taco de madeira!. Foto: Terra

Sala de jantar e taco de madeira!
Foto: Terra

O apartamento de Marina Teixeira tem o que podemos chamar de "a cara da dona". Apesar de morar com o irmão, é ela quem dá uma brecada nas vontades dele quando o assunto é decoração.

Diversão e criatividade em ambientes grandes

Marina é designer de interiores e mostrou na Casa Cor 2003 o living do DJ, um ambiente lúdico e jovem, com picape de som, fotos de Ibiza na parede e até mesa de pebolim. O apartamento dela não é muito diferente e mostra o mesmo espírito "festeiro" da exibição. "Quando estou em casa, adoro receber amigos. Minha casa está sempre cheia. Um dia é uma festa, no outro, um jantar...", conta ela.

Para deixar todo mundo à vontade, sofás superconfortáveis, varanda convidativa, bar na sala, mesa de sinuca e as mesmas picapes da Casa Cor. "É preciso estar atento às próprias necessidades para começar a pensar na decoração", diz. Em outras palavras: se você não pára em casa, facilite a limpeza; se vive recebendo os amigos, deixe o ambiente propício para esses encontros e por aí vai.

A designer de interiores mostra que segue o que fala e tratou logo de fazer algumas adaptações em sua residência: em vez do habitual verde, a mesa de sinuca é vermelha "para combinar com as cores do ambiente"; um bar foi instalado na sala para impedir dispersão em massa para a cozinha e uma porta de correr divide a sala de visitas da sala de jantar.

Se você não tem todo o espaço da Marina, a dica dela é integrar os ambientes. "Não é preciso separar o lugar de comer do cantinho para os jogos e do espaço para receber os amigos. O ideal é integrar esses ambientes", acredita. Além disso, ela aconselha a deixar as tendências de lado e pensar em móveis e objetos práticos no dia-a-dia. "Preste atenção nas medidas do local e use o bom senso", aconselha. Um exemplo típico: para que apostar em móveis pesados como os de mármore, que dificultam a mudança de lugar e, conseqüentemente, a limpeza? Para sair da mesmice, vale mudar a cara do sofá com xales, enfeitar o local com móbiles, painel de fotos, plantas e até mesmo esculturas.

Outro ponto forte da casa de Marina é justamente o sofá, que ganhou revestimento em couro ecológico. "É fácil de encontrar e de manter. Se riscar de caneta, é mais fácil limpar. Além disso, é mais resistente do que o couro natural", enumera.

Marina esclarece também aquela eterna dúvida quanto ao carpete. Afinal, vale ou não a pena ter em casa? "Com o tempo, o carpete impregna sujeira. Se o problema for a limpeza, a melhor opção é o taco de madeira e, se você achar que o ambiente fica muito frio, jogue uns tapetes em cima".

Redação Terra