inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

vc repórter: noiva paraplégica realiza ensaio fotográfico em SC

31 de março de 2010 21h55 atualizado em 01 de abril de 2010 às 08h45

Quelen e Deyvid fizeram ensaio antes do casamento. Foto: Volnei Wentz/vc repórter

Quelen e Deyvid fizeram ensaio antes do casamento
Foto: Volnei Wentz/vc repórter

Não é só na ficção, com a personagem Luciana, vivida por Alinne Moraes em Viver a Vida, ou no mundo das celebridades, com o modelo e ex-BBB Fernando Fernandes, que pessoas com deficiência física resolvem valorizar sua beleza e posar para ensaios fotográficos.

» Veja mais fotos
» Siga o vc repórter no Twitter
» Siga o Terra no Twitter
» vc repórter: mande fotos e notícias

Quelen de Oliveira Paim, que é paraplégica, casou-se em Itajaí (SC) no dia 12 de março com Deyvid Santos e resolveu fazer um ensaio fotográfico para celebrar a ocasião. "Esse foi, sem dúvida, um dos trabalhos mais fortes que fizemos em nosso estúdio", explica o fotógrafo Volnei Wentz, que retratou os momentos de alegria do casal.

A jovem, hoje com 24 anos, sofreu um acidente de moto no dia 1º de outubro de 2008. Na época, Quelen era noiva há seis anos, trabalhava em um atelier, malhava, surfava, praticava Tai Chi Chuan e costurava nas horas vagas. "Nesse dia, indo do trabalho para casa, para almoçar, sofri um acidente de moto e, com a queda, rolei uns metros e logo percebi que não sentia minhas pernas", conta.

O socorro chegou rápido e Quelen foi levada para o hospital. "Por eu estar bem, respirando normalmente e sem reclamar de dores, o atendimento demorou, mas quando começaram os exames foi diagnosticado que eu estava correndo risco de morte, pois meus pulmões estavam perfurados e, ali mesmo, na sala de tomografia, foi efetuada a drenagem dos mesmos. Fiquei quatro dias na UTI e por um milagre sobrevivi".

Após um tratamento de quatro meses em Brasília (DF), Quelen voltou a praticar Tai Chi Chuan e ir à academia. "Iniciei a prática de handebol adaptado, atletismo e o que era hobby virou minha fonte de renda. Comecei a criar bolsas e acessórios femininos e a dar aula de artesanato", conta.

"Em momento algum deixei que a deficiência afetasse minha vida, surpreendendo todos a minha volta. Perdi algumas coisas que achava importante, como meu noivo, mas que, com o tempo Deus me mostrou que havia um grande propósito para tudo isso", afirma.

Depois de dez meses do acidente, Quelen recebeu um pedido de namoro. "Hoje, após um ano e cinco meses, faço fisioterapia e estou evoluindo muito bem a cada dia. Decidi encarar essa lesão medular que aconteceu em minha vida como um livramento e não um sofrimento, pois nunca fui tão feliz e amada", diz.

"Quelen está conseguindo em seu dia a dia superar suas limitações e claro, com todo o amor de Deyvid, está conseguindo cada vez mais se sentir realizada como pessoa, mulher, esposa, amiga e filha", afirma Wentz, que se emocionou com a celebração.

O internauta Volnei Wentz, de Brusque (SC), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

vc repórter
vc repórter