inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Astrologia ganha espaço no meio empresarial

13 de agosto de 2009 12h45 atualizado às 13h00

Segundo Ivan Freitas, empresas analisam mapa astral do funcionário para escolher suas funções. Foto: Divulgação

Segundo Ivan Freitas, empresas analisam mapa astral do funcionário para escolher suas funções
Foto: Divulgação

Longe da aura de misticismo e mistério associada a sua prática, a astrologia amplia sua presença no meio empresarial e na vida cotidiana, como alternativa rápida a outros meios de investigação, como terapias.

» Chat: tecle sobre o assunto
» vc repórter: mande fotos
e notícias


Apesar de reconhecida como profissão pelo Ministério do Trabalho desde 1977, e contar com órgãos de informação, sindicatos regionais, os astrólogos ainda buscam reforçar a diferenciação em relação a outras técnicas de investigação e até de práticas adivinhatórias.

Também chamados de cosmo-analistas, segundo o código brasileiro de profissões, os astrólogos "orientam pessoas, organizações privadas ou públicas; fazem previsões com base na interpretação de configurações astrológicas. Pesquisam e elegem momentos e locais precisos para diversos objetivos. Podem ministrar cursos, dar consultoria e atuar nos meios de comunicação".

A análise é feita a partir de um mapa astrológico, que se baseia na data, horário e local de nascimento. Esse mapa fornece informações sobre a personalidade, aspectos de saúde, habilidades, defeitos, como num raio-x psicológico. Além disso, aponta possibilidades e dificuldades nos campos afetivo, profissional e familiar. É possível ainda usar as informações do mapa para investigar questões pontuais, como uma mudança de emprego ou a escolha de um profissional para um cargo. "Por isso se chama mapa, pois serve para ir de um lugar para outro com segurança", diz o professor astrólogo Ivan Freitas, delegado regional do Sindicato dos Astrólogos do Estado de São Paulo, que explica o que é a profissão e como reconhecer um bom profissional.

Terra - O que é um astrólogo?
Ivan Freitas: É um consultor ou um coaching, como se diz atualmente. Misto de psicólogo, padre, que ouve e tem de ter as ferramentas para poder dar uma orientação com uso do mapa astrológico, cuja função é orientar todo o tipo de informação. Diferente da psicologia, oferece respostas rápidas. É como fazer terapia com alguém que não precisa perguntar tudo sobre a sua vida para saber as respostas.

Terra - Qual área tem oferecido boas oportunidades de trabalho aos astrólogos?
Ivan: Consultoria a empresas ou pessoas físicas que procuram respostas rápidas e não têm tempo para longos processos de consultoria ou seis meses de terapia. Nas empresas, há sete anos começou um trabalho em parceria com departamento de recursos humanos, que pede a análise do mapa dos funcionários para escolha de novas funções.

Terra - Qual formação mínima exigida de um astrólogo?
Ivan: Pelo menos um ano de curso. A Ordem Nacional dos Astrólogos e Cosmo-analistas reconhece que a formação mínima engloba 300 horas de curso, fora a especialização.

Terra - Como escolher um bom profissional?
Ivan: É importante verificar o tipo de curso feito, pois há muitos informativos, para autoconhecimento e os de formação, que é dividido em três partes, básico, avançado e de plena formação. Os astrólogos formados há 20 anos começaram a aprender de maneira autodidata ou tendo aulas particulares com outros profissionais, pois não havia nem tinha literatura em português. Hoje já há escolas e até universidade de astrologia em São Paulo. Por isso não se deve buscar referências apenas na mídia ou pelo site do profissional, mas seguir o bom e velho boca a boca.

Terra - Astrólogos devem ter aura de mistério ou parecer com gurus?
Ivan: Desconfie de uma abordagem ligada ao místico, ao sobrenatural e que tenha aura de mistério. Deve ser algo próximo a um bate-papo com alguém que há muito tempo te conhece. A astrologia foi cercada de muito mistério, pois era algo reservado a reis, príncipes e papas, o que era chamado de astrologia de gabinete, para quem tinha poder e não para as massas. Mas hoje para desmistificar, há escolas, cursos, palestras. Outra dica importante é que um profissional esclarecido está em contato com seu meio, como aconteceria em qualquer profissão. É fundamental que seja reconhecido no mercado. Não tem essa de morar numa gruta e não querer participar dessas coisas.

Terra - Muitos astrólogos também oferecem terapias alternativas. A Astrologia pode ser combinada a outras técnicas?
Ivan: Pode, mas o faz-tudo não é legal, pois astrologia é o tipo de estudo que demanda dedicação integral. Quanto mais você sabe, mais sabe que não sabe nada. Quem me procura no consultório quer saber de astrologia. O profissional pode até conhecer outras terapias, mas o perigo é ter estudado tudo e não saber nada. É recomendado fazer faculdade de psicologia ou ler muito sobre o assunto.

Terra - Quais os principais desafios da profissão?
Ivan: Esclarecer que um profissional não precisa cobrar caro para ser bom. Melhor sempre buscar referências. E também não acredito em pagar uma pessoa para passar a mão na sua cabeça, não parece essa ser a função de alguém com todas as informações da sua vida.

Especial para Terra