inclusão de arquivo javascript

Mulher

 
 

Como tratar o amor patológico

O amor patológico só é possível ser tratado quando a pessoa admite que está fora de seu controle. Segundo a psicóloga Sílvia Rezende Azevedo, normalmente as pessoas costumam procurar ajuda de um especialista somente quando o relacionamento acaba ou existe a ameaça de perder o parceiro.

Veja também:
» Descubra se você está passando do limite do amor saudável
» Amor patológico: você já viveu um?

Participe:
» Você já viveu um amor obsessivo?

Quando o amor vira doença muitas vezes ele vem associado a quadros de depressão, fobias - como a síndrome do pânico - e ansiedade. Por isso, a terapia é indispensável.

"Só é possível tratar se a pessoa concordar em ter uma mudança de atitude", destaca Sílvia.

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) também possui um setor específico para tratamentos desse casos: o Ambulatório do Amor em Excesso (Amore).

Para não fazer do amor uma obsessão, a psicóloga recomenda
1) Goste mais de você antes de gostar do outro

2) Não escolha um parceiro com o objetivo de preencher um vazio
3) Encontre prazeres na vida (esporte, trabalho, hobby, amigos, família)

4) Se conheça melhor e analise o que realmente quer para sua vida e que tipo de relacionamento quer manter

5) Tenha consciência de que um parceiro vem para acrescentar coisas a sua vida, que se trata de um cúmplice e não de um preenchedor de vazio
Redação Terra