inclusão de arquivo javascript

Dia das Mães
 
 

7 dicas ensinam a conciliar as funções de mãe e profissional

11 de abril de 2012 19h56

É possível facilitar sua vida de mãe e profissional, basta seguir as dicas. Foto: Shutter Stock/Terra

É possível facilitar sua vida de mãe e profissional, basta seguir as dicas
Foto: Shutter Stock/Terra

Muitas vezes, é difícil acreditar que nas 24 horas de um dia é possível desempenhar múltiplos papeis - mãe, esposa, profissional, filha - e ainda achar um tempinho para se divertir e, até mesmo, dormir. Como se não bastasse, ainda sobra espaço para a mulher se sentir culpada por achar que não está sendo perfeita em algum desses quesitos, principalmente no papel de mãe. Cecília Russo Troiano, autora do livro "Vida de equilibrista: dores e delícias da mãe que trabalha", dá algumas dicas para suavizar a sua jornada.

Escola perto de casa
Escolha a escola do seu filho sempre perto de casa. É melhor para a criança lidar com menor deslocamento, ainda mais se é necessário sair muito cedo.

Peça ajuda
Quando precisar ficar até tarde no trabalho, levar a criança para o escritório não é a melhor alternativa. Pedir ajuda ao marido, a uma ajudante ou à avó são saídas melhores. Lembrando que, preferencialmente, devemos manter a rotina das crianças, especialmente quando pequenas.

Revise a lição no fim de semana
Se geralmente você chega tarde do trabalho, tente falar com a escola e peça que deem mais tempo para seu filho fazer a lição de casa. E aproveite para fazer uma revisão no fim de semana, o que importa é estar atenta, mesmo que não seja todos os dias.

Leve seu filho para conhecer seu trabalho
Toda mãe que trabalha pode passar por aquela situação que aperta o peito quando o filho pede para ficar mais em casa. Nesses casos, conversar sempre é a melhor saída. Crianças querem e precisam entender os porquês. Levar um dia o filho ao trabalho também ajuda para materializar algo que pode ser muito etéreo para os pequenos.

Fique de olho no comportamento
Sempre olhe para o comportamento dos seus filhos. Se estão dormindo bem, acompanhando a escola, se relacionando com colegas, comendo adequadamente. Caso algo errado estiver acontecendo, se um mal-estar emocional existir, algum aspecto da vida dará sinais. Estar atenta é a melhor forma de ajudar, caso seja necessário.

Sem culpa na hora da bronca
Algumas mães sentem dificuldade na hora que precisam ser mais duras, pois não querem passar o pouco tempo que ficam com os filhos, dando bronca. Mas não podemos ficar culpadas pelo trabalho. A culpa e a flexibilização dos limites e broncas não nos faz melhores mães, ao contrário. Pode ser um alívio imediato, mas as consequências emocionais, mais permanentes, são danosas.

Educação é com os pais
A responsabilidade pela educação dos filhos sempre é dos pais, educar é com os pais, trazer os valores da família é função dos pais. A escola é o espaço da socialização, do aprendizado de conteúdos formais. E, claro, a escola precisa estar alinhada aos valores da família, e, dessa forma, reforçar no espaço coletivo, as regras sociais e as regras da convivência.

Coletânea Editorial
Especial para o Terra
Terra
  1. É possível facilitar sua vida de mãe e profissional, basta seguir as dicas  Foto: Shutter Stock/Terra

    É possível facilitar sua vida de mãe e profissional, basta seguir as dicas

    Foto: Shutter Stock/Terra

  2. Escola perto de casa: escolha a escola do seu filho sempre perto de casa. É melhor para a criança lidar com menor deslocamento, ainda mais se é necessário sair muito cedo.   Foto: Shutter Stock/Terra

    Escola perto de casa: escolha a escola do seu filho sempre perto de casa. É melhor para a criança lidar com menor deslocamento, ainda mais se é necessário sair muito cedo.

    Foto: Shutter Stock/Terra

  3. Peça ajuda: quando precisar ficar até tarde no trabalho, levar a criança para o escritório não é a melhor alternativa. Pedir ajuda ao marido, a uma ajudante ou à avó são saídas melhores. Lembrando que, preferencialmente, devemos manter a rotina das crianças, especialmente quando pequenas.  Foto: Shutter Stock/Terra

    Peça ajuda: quando precisar ficar até tarde no trabalho, levar a criança para o escritório não é a melhor alternativa. Pedir ajuda ao marido, a uma ajudante ou à avó são saídas melhores. Lembrando que, preferencialmente, devemos manter a rotina das crianças, especialmente quando pequenas.

    Foto: Shutter Stock/Terra

  4. Revise a lição no fim de semana: se geralmente você chega tarde do trabalho, tente falar com a escola e peça que deem mais tempo para seu filho fazer a lição de casa. E aproveite para fazer uma revisão no fim de semana, o que importa é estar atenta, mesmo que não seja todos os dias.   Foto: Shutter Stock/Terra

    Revise a lição no fim de semana: se geralmente você chega tarde do trabalho, tente falar com a escola e peça que deem mais tempo para seu filho fazer a lição de casa. E aproveite para fazer uma revisão no fim de semana, o que importa é estar atenta, mesmo que não seja todos os dias.

    Foto: Shutter Stock/Terra

  5. Leve seu filho para conhecer seu trabalho: toda mãe que trabalha pode passar por aquela situação que aperta o peito quando o filho pede para ficar mais em casa. Nesses casos, conversar sempre é a melhor saída. Crianças querem e precisam entender os porquês. Levar um dia o filho ao trabalho também ajuda para materializar algo que pode ser muito etéreo para os pequenos.  Foto: Shutter Stock/Terra

    Leve seu filho para conhecer seu trabalho: toda mãe que trabalha pode passar por aquela situação que aperta o peito quando o filho pede para ficar mais em casa. Nesses casos, conversar sempre é a melhor saída. Crianças querem e precisam entender os porquês. Levar um dia o filho ao trabalho também ajuda para materializar algo que pode ser muito etéreo para os pequenos.

    Foto: Shutter Stock/Terra

  6. Fique de olho no comportamento: sempre olhe para o comportamento dos seus filhos. Se estão dormindo bem, acompanhando a escola, se relacionando com colegas, comendo adequadamente. Caso algo errado estiver acontecendo, se um mal-estar emocional existir, algum aspecto da vida dará sinais. Estar atenta é a melhor forma de ajudar, caso seja necessário.  Foto: Shutter Stock/Terra

    Fique de olho no comportamento: sempre olhe para o comportamento dos seus filhos. Se estão dormindo bem, acompanhando a escola, se relacionando com colegas, comendo adequadamente. Caso algo errado estiver acontecendo, se um mal-estar emocional existir, algum aspecto da vida dará sinais. Estar atenta é a melhor forma de ajudar, caso seja necessário.

    Foto: Shutter Stock/Terra

  7. Sem culpa na hora da bronca: algumas mães sentem dificuldade na hora que precisam ser mais duras, pois não querem passar o pouco tempo que ficam com os filhos, dando bronca. Mas não podemos ficar culpadas pelo trabalho. A culpa e a flexibilização dos limites e broncas não nos faz melhores mães, ao contrário. Pode ser um alívio imediato, mas as consequências emocionais, mais permanentes, são danosas.  Foto: Shutter Stock/Terra

    Sem culpa na hora da bronca: algumas mães sentem dificuldade na hora que precisam ser mais duras, pois não querem passar o pouco tempo que ficam com os filhos, dando bronca. Mas não podemos ficar culpadas pelo trabalho. A culpa e a flexibilização dos limites e broncas não nos faz melhores mães, ao contrário. Pode ser um alívio imediato, mas as consequências emocionais, mais permanentes, são danosas.

    Foto: Shutter Stock/Terra

  8. Educação é com os pais: a responsabilidade pela educação dos filhos sempre é dos pais, educar é com os pais, trazer os valores da família é função dos pais. A escola é o espaço da socialização, do aprendizado de conteúdos formais. E, claro, a escola precisa estar alinhada aos valores da família, e, dessa forma, reforçar no espaço coletivo, as regras sociais e as regras da convivência.    Foto: Shutter Stock/Terra

    Educação é com os pais: a responsabilidade pela educação dos filhos sempre é dos pais, educar é com os pais, trazer os valores da família é função dos pais. A escola é o espaço da socialização, do aprendizado de conteúdos formais. E, claro, a escola precisa estar alinhada aos valores da família, e, dessa forma, reforçar no espaço coletivo, as regras sociais e as regras da convivência.



    Foto: Shutter Stock/Terra

/dia-das-maes/foto/0,,00.html