Comportamento

publicidade

Sextoys tendem a se tornar mais populares que os smartphones

Mulheres estão perdendo tabus relacionados aos brinquedos eróticos
Foto: Getty Images

Especialistas estrangeiros apontaram uma nova tendência de consumo para as próximas décadas, que pode surpreender os mais conservadores: os brinquedos eróticos, como vibradores, algemas, máscaras, chicotes etc, tendem a superar as vendas dos smartphones, como divulgou a revista norte-americana Glamour nesta sexta-feira (13).

E a tendência é mundial, tanto que os veículos LA Weekly e Daily Mail têm sugerido que o aumento nas vendas de vibradores e outros artigos eróticos aumentou consideravelmente depois que algumas celebridades confirmaram que são fãs dos acessórios, como Teri Hatcher, Eva Longoria e Halle Berry.

A previsão dos especialistas é que a venda de brinquedinhos sexy seja de 400 milhões de unidades por ano a partir de 2020. Rosemary Brenna, comentarista da revista norte-americana disse acreditar que a opinião das celebridades em relação aos sextoys não é a responsável pelo aumento das vendas, mas sim a curiosidade das mulheres em relação ao seu próprio prazer e a atitude de quebrar tabus para encontrar algo que as satisfaça.

Terra