Comportamento

publicidade

Aprenda 18 segredos para conservar melhor roupas e sapatos

Peças de seda, viscose e acetato não podem sofrer centrifugação da máquina, pois o processo quebra as fibras deixando marcas irreversíveis
Foto: Getty Images
 

Para a maioria das pessoas, a troca de estação também reflete uma mudança sensível no armário: é quando as peças de verão saem de cena e as do inverno retornam aos cabides.

É nesse momento que ocorrem algumas surpresas: quando uma roupa guardada suja aparece amarelada, quando o cheiro de mofo incomoda e é necessário lavar novamente as peças de frio. E não pense que lavar roupas é simplesmente jogar as peças na máquina com sabão: saber lavá-las é uma arte. Com os cuidados certos, é possível conservar as peças por muitas e muitas estações.

Para isso, os cuidados com a máquina de lavar devem fazer parte da rotina, pois, além de conservar o equipamento, isso ajuda a deixar as roupas limpas e novinhas em folha.

A seguir, veja dicas dadas por Ricardo Monteiro, da Quality Lavanderia; e pela especialista em consultoria e treinamentos para lavanderias, Maria Aparecida Yoshima, da Organizatta.

Roupas de inverno: As peças de inverno nem sempre precisam ser lavadas antes de usar. Se foram guardadas limpas na última estação e envoltas em um saco de proteção, e não tiverem fungos devido à umidade do armário, é possível lavá-las normalmente. Caso tenha sido guardada suja (o que é um erro, pois as traças podem fazer um belo estrago) e sem proteção, o ideal é lavá-la antes de usar, pois podem estar cheias de ácaros que provocam espirros em pessoas mais alérgicas. Outra dica é fazer higienização das peças com produtos bactericidas encontrados em supermercados ou lojas especializadas.

Tirar o amarelo das roupas: Você sabia que usar produtos clorados pode aumentar o amarelamento das peças? Principalmente quando se utiliza água quente. Ao adotar um produto clorado, o certo é neutralizá-lo com outro ácido. A dona de casa pode usar um copo de vinagre de vinho branco ou de maçã no último enxágüe da máquina para neutralizar o cloro residual.

Sabão demais: Falta de remoção do sabão pode deixar a roupa amarelada. O uso em demasia do sabão deixa resíduos, não lava melhor e pode manchar as roupas. O correto é utilizar a quantidade recomendada pelo fabricante do equipamento e do produto, mesmo que a roupa esteja mais suja. Se for o caso, faça primeiro uma pré-lavagem e depois a lavagem. Vale lembrar que excesso de sabão também deixa as peças endurecidas.

Água quente: É um erro lavar a roupa muito suja diretamente com água quente. Ao invés de retirar a sujeira, a água quente vai cozinhar toda a sujeira, deixando a roupa amarelada. O correto é primeiro lavar com água fria e depois com água quente para remover os resíduos remanescentes.

Lençóis e toalhas fofinhos: Para deixar toalhas e lençóis macios, o segredo é usar amaciante no final do processo de higienização. Durante a lavagem, as fibras se embaralham e só desembaralham com o amaciante, já que o produto realinha as fibras deixando as roupas macias e mais fáceis de passar.

Roupas delicadas: Peças de seda, viscose e acetato não podem sofrer centrifugação da máquina, pois o processo quebra as fibras deixando marcas irreversíveis. Na hora de lavar outras peças delicadas, coloque-as em uma fronha ou um saquinho específico e centrifugue por um minuto. O cuidado deve ser redobrado com peças de pedrarias.

Manutenção da máquina: Todas as máquinas de lavar possuem um filtro que deve ser limpo semanalmente ou de acordo com a solicitação do fabricante. É possível limpar o equipamento com água sanitária a cada seis meses (lave a máquina só com água e água sanitária), porém não se esqueça de neutralizar o cloro residual. Ao final do processo, coloque dois copos de vinagre de vinho branco nas gavetas e faça um enxágue na máquina.

O melhor amaciante: O mais indicado é comprar produtos em locais idôneos e de marcas confiáveis. Evite os que são vendidos a granel. Se colocado em excesso, o produto pode danificar as fibras das roupas.

Lavar na mão: Peças de seda, viscose e acetato devem ser lavadas à mão e com detergente neutro. Deve-se dissolver o detergente na água e depois colocar as peças de molho por cerca de 30 minutos, agitando-as levemente. Em seguida, enxague com água em abundância e no ultimo enxágue, adicione um pouco de amaciante. Pendure em um cabide, sem torcer ou centrifugar, e deixe secar à sombra.

Como tirar manchas de gordura: Quando há muita gordura, é possível removê-la facilmente com uma solução de detergente de cozinha e removedor. Passe esta pasta suavemente nas manchas de gordura, deixe agir por uns cinco minutos e depois lave normalmente. Outra alternativa é usar spray específico para gorduras encontrados em supermercados.

Manchas de ferrugem: Manchas amarelas podem ser de ferrugem pontuais ou oxidadas do tempo. Se for de ferrugem, utilize um produto específico para remoção. Se forem oxidadas, são mais difíceis de remover e pode-se tentar fazer um alvejamento com peróxido a quente (65ºC), porém nem sempre o resultado será positivo.

Passar a roupa: Toda roupa sempre deve ser passada com um ferro a vapor, caso contrário a chance de queimar a roupa é muito grande. Peças sintéticas são muito sensíveis ao calor. Toda roupa preta deve ser passada com um pano de algodão ou proteger o ferro com uma capa de teflon. Não passe o ferro sobre bolsos, cós, pois ficam com brilho de queimadas que não sai mais.

Roupas pretas: Não tem nada pior do que pegar uma peça preta depois de lavada e verificar a imensa quantidade de pelinhos brancos. Uma boa alternativa para evitar isso é não lavar as peças pretas com outras mais claras. Se o tecido pegar pelo, o ideal é usar um tira-pelo após passar. E mais: roupas escuras não devem ser lavadas com detergentes em pó, pois eles possuem branqueadores óticos que mancham e desbotam. Lave com um detergente líquido neutro.

Roupas coloridas: Todos os tecidos de fibras naturais, como algodão, linho ou seda, desbotam normalmente durante o processo de lavagem. O uso em demasia do sabão em pó provoca o desbotamento acentuado. O único método que preserva mais os corantes das roupas é a lavagem a seco.

Guardar as roupas: A melhor forma de acondicionar as roupas é colocá-las dentro de um saco de TNT, que as deixa respirar. O couro em particular deve ser guardado limpo com uma capa de proteção de TNT e retirado do armário a cada 45 dias para respirar em algum local arejado e sob a sombra. Sacos plásticos são contra indicados por absorver umidade.

Como lavar roupas de lã: As roupas de lã devem ser lavadas a seco. Em casa, use detergente neutro e seque naturalmente à sombra. Malhas ou tricô de lã só podem ser limpas manualmente com detergente neutro. A água deve ser retirada por compactação, ou seja, não podem ser torcidas, pois deformam. E devem secar somente na horizontal em cima de uma grade.

Embalar a vácuo: Roupas feitas de algodão, linho, lã e tecidos acrílicos podem ser embaladas a vácuo, pois são tecidos de fibras que não se quebram. Já seda, viscose, acetato e alguns tipos de poliéster não devem ser embalados desta forma, pois há grande risco de as fibras serem danificadas e as peças ficarem eternamente marcadas. Edredom também corre um grande risco, pois a manta interna por ficar muito tempo compactada, podendo não voltar ao volume normal.

Sapatos: Sapatos não devem ser guardados logo que retirados dos pés. O ideal é esperar por quatro a seis horas antes de guardar, para que perca a umidade do suor. Devem também serem guardados em local fresco e ventilado, para evitar a proliferação de fungos. Outra boa dica é colocá-los em caixas para que não fiquem deformados e se acomodem melhor. Atualmente, já existem caixas especiais que acomodam os sapatos com visor para sejam identificados. Após o inverno, caso sua casa seja úmida, faça uma limpeza com panos úmidos e deixe por umas duas horas no sol. Pode-se também colocar pacotinhos de sílica para eliminar o mofo.

Terra Terra